quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Os passos do Diabo – Parte II - O Diabo Passeia Novamente

Na primeira parte deste artigo mostrei a história das supostas pegadas do Diabo que teria surgido em várias localidades da Inglaterra e também de outros países. Nessa parte mostrarei novos relatos sobre a aparição do demônio em algumas regiões.


Representação do Diabo de Nova Jersey (Fonte: shopoflittlehorrors)

O Diabo Passeia Novamente

Em 1957 o To Morrow publicou um caso sob o título de "O Diabo passeia novamente?" O artigo estava assinado por Eric. J. Dingwall, um erudito autor inglês que foi um dos colaboradores do Dr. Alfred Kinsey, bem conhecido por seus trabalhos antropológicos e suas pesquisas sexo-psicológicas. "Entre todas as histórias estranhas que ouvi, escreve o Dr. Dingwall, esta foi uma das mais esquisitas e inexplicáveis."
A história foi contada por um tal "Sr. Wilson". Inglês de nascimento, Wilson veio ainda jovem para a América e prosperou em seus negócios em Nova York. Na quebra da Bolsa, perdeu muito dinheiro. Retornou para a Inglaterra onde se instalou em um vilarejo e montou, em pouco tempo, um bom negócio comercial.
Um dia, numa revista britânica, leu um artigo sobre "os rastros do Diabo", em 1855, em Devon. Como o nome do Dr. Dingwall foi mencionado no artigo, Wilson escreveu-lhe uma carta. Até então ele estava tão dominado por sua aventura, que havia contado somente a três amigos de confiança.
O Dr. Dingwal visitou Wilson para uma entrevista. Wilson apareceu-lhe como um homem de alta estatura, solidamente constituído, de espírito prático. Não era evidentemente “um sonhador que imaginasse histórias inacreditáveis”.

Dr. Dingwall (Fonte: postersguide)
Conta Wilson que, em outubro de 1950, ele decidira tirar férias numa pequena cidade da costa oeste de Devon, onde passara a juventude. No último dia de sua permanência, foi ver a antiga casa de sua família e a praia onde havia brincado quando criança. Esta praia era inteiramente orlada de falésias abruptas. Penetra-se nela por uma passagem estreita entre sob dois rochedos, cuja entrada é barrada por uma alta grade de ferro. No verão, as pessoas que vão a esta praia pagam uma taxa para entrar na caverna. Mas naquela tarde triste de outono a grade já estava fechada para o inverno.
A casa da infância do Sr. Wilson estava próxima. Lembrou-se que seria possível chegar até à praia passando pelo jardim, utilizando uma outra passagem. Tomou esse caminho e cedo se encontrava sobre a areia da praia deserta. O mar atingira a parte mais elevada da praia, porém quando ele chegou a maré era vazante, deixando a areia tão lisa como vidro. Foi então que Wilson fez sua apavorante descoberta.
Uma série de pegadas começava no alto da praia, bem abaixo de uma falésia vertical, e atravessava a praia em linha reta até o mar. Estavam extremamente nítidas "como se fossem esculpidas por um objeto cortante". Espaçadas em cerca de 1,80m, elas pareciam ser os vestígios do casco de um bípede e assemelhando-se muito com o de um forte pônei não-ferrado. Não eram fendidas e eram mais profundas que as pegadas feitas por Wilson, que pesava 80 quilos.

(Fonte: southernbreezes)
Um pormenor perturbou especialmente Wilson: a areia não havia sido "escavada" na borda das pegadas – "dir-se-ia que cada pegada havia sido recortada na areia com ferro quente". Tentou compará-las com as suas, andando ao lado delas, depois tentou saltar de uma marca à outra, mas o passo era maior que o dele, ainda que fosse um homem de alta estatura e longas pernas. Não havia marcas regressando do mar e a estreita praia era limitada em cada extremo por pontas rochosas.
O Dr. Dingwal fez então algumas perguntas que ficaram sem resposta: Qual seria a criatura, terrestre ou marinha, capaz de deixar aquelas marcas? De que tamanho podia ser ela para possuir um passo tão longo? Se fosse animal marinho, por que teria cascos? Se fosse animal terrestre por que teria entrado no mar? Ou teria então asas?
O Sr. Wilson declarou que os rastros eram frescos e que a maré vazante estava justamente além da última pegada da pista. Que teria visto se chegasse um pouco antes? O Dr. Dingwal assinala que semelhantes sinais foram vistos em 1908, nos Estados Unidos, ao longo da costa de Nova Jersey, entre Newark e o cabo May. Elas foram atribuídas ao "Diabo de Jersey". Ele acrescenta: "Existem ainda descrições de marcas como as do casco de um pônei na neve espessa e, também, as pegadas saltam cercas para depois continuarem do outro lado, mesmo quando as barreiras estavam a apenas polegadas umas das outras".
O Dr. Dingwall conclui dizendo que quanto mais se fazem perguntas, mais o mistério se torna desconcertante.


(Fonte: scaryforkids)

Desta vez, um responsável

Em uma noite de Janeiro de 1909 E.P. Weeden acordou abruptamente quando ouviu alguém tentando arrombar a porta de sua casa. Ele fazia parte do conselho da cidade de Trenton, Nova Jersey, EUA. Assustado com o intruso ele correu para o andar de cima de sua casa para olhar o que estava acontecendo. Além do som das investidas contra a porta ele podia ouvir também o som de asas grandes batendo. Ao olhar pela sua janela ele não conseguiu ver o intruso, mas o que viu o apavorou: o que quer que fosse que tentava entrar em sua casa havia deixado um rastro na neve do telhado, e o que quer que a coisa alada fosse ela possuía cascos.
Na mesma noite, "aquilo" deixou pegadas na neve no Arsenal Estadual em Trenton, Nova Jersei. E logo depois John Hartman, na Center Street, conseguiu ver finalmente o responsável pelas pegadas circulando por seu quintal e então desaparecendo na noite. Os residentes de Trenton que viviam perto do rio Delaware foram assustados por sons altos, parecidos com o grito de um gato gigante, e ficaram em casa, com medo de sair para as ruas.
A diferença entre esse caso e os dois relatados anteriormente, é que desta vez a criatura responsável pelas pegadas misteriosas foi avistada, a semelhança é que novamente foram ligadas ao diabo.

Outra representação do Diabo de Jersey (Fonte: robbingraves.deviantart)
O Diabo de Jersey, também conhecido como o Diabo Leeds (Leeds Devil), é uma criatura que muitos acreditam habitar a região de Pine Barrens ao sul de Nova Jersey. A criatura geralmente é descrita como um bípede voador, com cascos, mas além disso as descrições variam, como os seguintes registros mostram:
Russ Muits, Franklinville, NJ.
"Ele andava em suas patas traseiras e estava agachado. As costas tinham pelo menos 1,20m de altura. Sua cor era cinza escuro, e os pêlos lembravam os de rato. Sua cauda parecia com a de um macaco e tinha pelo menos 60 centímetros de comprimento. Eu não consegui ver sua cabeça."
Em 1909 surgem alguns avistamentos como o de George Snyder, em Moorestown, NJ. no dia 20 de janeiro.
"Ele tinha 90 centímetros de altura, pêlos longos e escuros por todo o corpo, braços e mãos como as de um macaco, sua face lembrava a de um cão e possuía cascos fendidos, e uma cauda com 30 centímetros de comprimento."
E então Lewis Boeger, em Haddon Heights, NJ. no dia 21.
"No geral sua aparência lembra a de uma girafa... possui um pescoço longo, e a impressão que tive ao vislumbrar a sua cabeça era a de traços horríveis. Ele possui asas de um bom tamanho, e no escuro, obviamente pareciam ser negras. Suas pernas são longas e de certa forma bem definidas e ficavam na mesma posição que as patas de um ganso quando ele voa... ele parecia ter 1,20m de altura."
Apesar das descrições variarem, vários aspectos se mantém constantes, como o longo pescoço, as asas e os cascos. Muitos dizem que a criatura possui cabeça e cauda parecidas com a de um cavalo, sua altura varia de 90 cm a 2,10m, e claro muitos afirmam que a criatura possui olhos vermelhos que brilham e que são capazes de paralisar um homem. Além disso ela solta gritos agudos, que parecem gritos de queixa como se algo a machucasse.
...
Na próxima parte desse artigo será levantada algumas possíveis origens para o surgimento dessa história.



            Os passos do Diabo – Parte I


            Os passos do Diabo – Parte III – Origens da Lenda


            Os Passos do Diabo – Parte IV - Encontros

1 comentários:

Junior disse...

Muito bom o seu blog! Você esta de parabens

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...